quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Dicas de Londres

Pessoal, retirei essas dicas do site: http://www.visitbritain.com.br/

Seguem aí coisas bacanas para visitar em Londres:


Greenwich
Coloque um pé no leste e outro no oeste sobre o Meridiano de Greenwich e ajuste seu relógio pela 'Time Ball' vermelha que cai todos os dias precisamente às 13:00, o que acontece há 170 anos. Um acréscimo recente é um painel eletrônico com notícias, transmitindo as manchetes do mundo.
Greenwich dá uma sensação de descanso. É o tipo do lugar onde é possível passar várias horas olhando as prateleiras dos mercados - artesanato, antigüidades, discos, curiosidades e, o que é mais famoso, roupas antigas. Depois, você pode dar um pulo em um pub às margens do rio para almoçar e flagrar a si mesmo ainda no mesmo lugar à noite, ouvindo mellow jazz.
Deve ver e fazer
-Greenwich Park
- The Royal Observatory
- National Maritime Museum
- The Queen’s House
- Fan Museum
- Greenwich Peninsula Ecology Park
- Greenwich Theatre
http://www.visitbritain.com.br/destinations/england/london/greenwich.aspx


Kew
Kew Gardens é dominado pela Palm House. É uma bela estrutura de vidro e ferro que abriga uma selva tropical de plantas, inclusive bananas, mamões e mangas. No Princess of Wales Conservatory, 10 zonas climáticas são recriadas e as suas plantas incluem uma vitória-régia amazônica gigante, babosa e várias plantas carnívoras. Há dois palácios reais dentro dos jardins: Queen Charlotte's Cottage e Kew Palace, além de duas outras estruturas orientais, o Pagode e o Portal Japonês (parecido com um Portal de Kyoto).
Um calendário de eventos para o ano todo acontece em Kew e há uma temporada de concertos de verão, que incluíam apresentações de Bootleg Beatles e Jools Holland.
Ao norte da Kew Bridge, visite o acervo de instrumentos do Musical Museum, de caixinhas de música ao poderoso órgão Wurlitzer e as bombas de vapor vitorianas do Steam Museum.
Deve ver e fazer
- Ham House
- Kew Bridge Steam Museum
- Kew Gardens
- London Butterfly House, Syon Park
- London Wetland Centre, Barnes
- Musical Museum
- Public Record Office
- Syon House
Fonte: http://www.visitbritain.com.br/destinations/england/london/kew.aspx


Notting Hill
Hugh Grant era a estrela do filme, mas o cenário inimitável era Portobello Road. O mercado vende tudo, de livros a curiosidades, mobília a moda e até mesmo comida exótica. O mercado de antigüidades, aos sábados, é um dos maiores mercados de antigüidades/objetos colecionáveis da Europa, e é um sucesso! Com mais de 1.500 vendedores, é particularmente bom para jóias e faqueiros. Pinturas, vidros de perfume, porcelana e pôsteres são apenas algumas das especialidades.
Notting Hill, com seu número cada vez maior de celebridades, há muito tempo é um ponto de festas, cheio de clubes, bares e danceterias. Os residentes caribenhos exerceram enorme influência sobre a área e garantiram o crescimento fenomenal do Carnaval de Notting Hill. O festival de artes multiculturais e a parada são conhecidos no mundo todo, atraindo centenas de milhares de visitantes neste verão. Recomenda-se uma fantasia exótica.
Não é de hoje que Notting Hill tornou-se uma alta referência da moda. A área, rural até o século XIX, atrai muitos moradores famosos. Leighton House e Linley Sambourne House estão abertas ao público e valem uma visita. Holland Park é um belo santuário de plantas, com seu próprio teatro. O cinema The Electric oferece filmes de pequena escala em um cenário luxuoso.
Deve ver e fazer
- Portobello Market
- Kensal Green Cemetery
Fonte: http://www.visitbritain.com.br/destinations/england/london/notting-hill.aspx


Richmond
O rio Tâmisa corre pelo coração do distrito por 21 milhas, ligando o Hampton Court Palace, o centro da cidade de Richmond e Kew Gardens ao centro de Londres. Com belos parques e casas históricas, centros urbanos cheios de lojas e restaurantes, Richmond-upon-Thames atrai visitantes distantes. Os seus dois Royal Parks, com seus grupos de cervos, são populares entre os amantes de caminhadas, praticantes de jogging e cavaleiros.
No centro do distrito localiza-se o aprazível vilarejo de Richmond, às margens do rio, oferecendo butiques especiais, belos pubs ao longo do rio, museus e galerias com uma riqueza de exposições. O Richmond Theatre costuma exibir prévias de West End.
A área ostenta várias casas e jardins magníficos. O mais famoso é o Hampton Court Palace, de Henrique VIII, o palácio mais antigo dos Tudors na Inglaterra, e Kew Gardens, com seus 300 acres contendo mais de 40.000 variedades de plantas. Além disso, Marble Hill House, uma casa ao lado do Tâmisa construída em 1724-29 para a amante do Rei George III, está aberta aos visitantes, assim como o Twickenham Stadium and Museum, lar do time de rugby inglês ganhador da copa do mundo.
Uma das melhores formas de chegar a Richmond é pelo rio, e os serviços de barco, no verão, saem do Westminster Pier.
Deve ver e fazer
- Ham House
- Hampton Court Palace
- Kew Gardens
- Marble Hill House
- Museum of Richmond
- Richmond Park
- Richmond Theatre
- Royal Star and Garter Home
- Syon House
- Twickenham Stadium and Museum
Fonte: http://www.visitbritain.com.br/destinations/england/london/richmond.aspx


South Bank
South Bank
Uma década atrás, alguns fãs dedicados às artes cruzaram o rio em direção ao complexo de South Bank para ver uma peça ou exposição. Agora essa área, alongando-se pelas margens do Tâmisa em direção ao leste de Waterloo, é uma das melhores partes de Londres.
O Tate Modern atraiu o espantoso número de cinco milhões de visitantes em seu primeiro ano de estréia; adquiriu a reputação de uma das maiores galerias de arte moderna do mundo, ostentando obras de Moore, Picasso, Dali, Warhol e Hepworth. Mais recentemente, a Saatchi Gallery abriu na vizinha County Hall, mostrando o melhor dos controvertidos artistas britânicos, como Damien Hirst e Tracy Emin.
No começo da ‘Millennium Mile’, o British Airways London Eye, a roda gigante mais alta do mundo, votada recentemente como a atração favorita dos londrinos. Uma caminhada aprazível ao longo das margens do rio Tâmisa levará você ao National Theatre e Royal Festival Hall até o Shakespeare’s Globe, Catedral de Southwark, Hay’s Galleria e HMS Belfast.
Para fazer compras e comer fora, a Oxo Tower tem butiques de estilistas/ fabricantes e restaurantes elegantes com vista para o rio Tâmisa, vital para a área.
Deve ver e fazer
- South Bank and the Millenium Mile
- Tate Modern
- London Eye
- Florence Nightingale Museum
- Design Museum
- Clink Prison
- Museum of Garden History
Fonte: http://www.visitbritain.com.br/destinations/england/london/south-bank.aspx


The West End
The West End
Os primeiros portos de escala aos viciados em compras são Oxford Street, Regent Street e Bond Street. Aí encontrarão as grandes lojas de departamento como a Selfridges e Marks & Spencer, além de grandes nomes de estilistas internacionais, desde Stella McCartney a Burberry. Além do melhor da moda britânica, aqui é possível comprar produtos do mundo todo.
No coração de West End está Trafalgar Square, e a alguns minutos depois está Soho, o centro de entretenimento da cidade, com seus pubs, clubes, bares e restaurantes.
Aqui também há muita cultura, desde a Royal Academy of Arts à Serpentine Gallery, em Kensington Gardens. Hyde Park e Kensington Gardens são enormes espaços verdes no centro de uma grande cidade, aonde os londrinos vão para descansar.
A maioria dos hotéis famosos de Londres está em West End, ao longo de Park Lane e fazendo limite com Mayfair. Os mais modestos ficam nos arredores de Victoria, um dos maiores terminais ferroviários da cidade. Ah, e Victoria também abriga a Rainha e o Palácio de Buckingham!
Deve ver e fazer
- Covent Garden
- Soho
- Musicals in the West End
- Leicester Square
- Chinatown
- Carnaby Street
Fonte: http://www.visitbritain.com.br/destinations/england/london/the-west-end.aspx


Wimbledon
Wimbledon, famosa por realizar os campeonatos de tênis anuais, é um lugar maravilhoso para visitar em qualquer época do ano.
A vila de Wimbledon, no topo de Wimbledon Hill, fica a menos de 10 milhas do centro de Londres, mas parece estar no coração do interior. A original e medieval High Street inclui a igreja, Old Rectory e vários pubs. Liga os amplos espaços abertos de Wimbledon Common a Wimbledon Hill. Hoje, pouco mudou, e as construções singulares desse charmoso vilarejo oferecem uma seleção de primeira de lojas, pubs, restaurantes, bares especializados em vinhos, cafés de rua, butiques e comércios. O New Wimbledon Theatre tem um programa variado de empolgantes produções.
O Wimbledon Lawn Tennis Museum é imperdível para os fãs do esporte. Explore a história dos torneios, veja os célebres troféus e passeie pelo lendário Centre Court.
Deve ver e fazer
- Wimbledon Lawn Tennis Museum
- New Wimbledon Theatre
- Southside House
- Abbey Mills
Fonte: http://www.visitbritain.com.br/destinations/england/london/wimbledon.aspx

terça-feira, 25 de agosto de 2009

2 km.....

Olá amigos, tudo bem??


Eu tenho endereço em Londres! Huhuw!!

Eu amei poder ver minha futura casa no Google Maps e Google Earth. Essas ferramentas são incríveis!

Calculei também a distância de lá até a facul, e vi que são 2 km. Eu sou a preguiça em pessoa, então eu acho que vou comprar uma bike mesmo.

Morri de rir ao ver as opções no Ebay, dêem uma olhadinha: http://www.ebay.co.uk/

Bjs!!


Mel Helen

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Preparada??

Essa é a pergunta que mais as pessoas me fazem: Nossa, faltam duas semanas para a sua viagem, preparada?
É interessante o comportamento das pessoas, e no meio delas sempre encontro algumas que só falam mal da Inglaterra.
Me dizem que o desemprego está alto, que o povo é xarope, que a cidade fede, que há ameaças terroristas, que os brasileiros são tratados de forma preconceituosa e blá blá blá.
Acho interessante esse ponto de vista, porque as pessoas estão sendo pouco espirituosas. Nosso país tem muitíssimos problemas, assim como qualquer lugar do mundo, que tem prós e contras.
Não virei uma inglesa, continuo sendo brasileira, mas continuo olhando para meu próprio umbigo, então vamos analisar:

- Desemprego da Inglaterra está alto: No ano passado a taxa estava em 6,3% da população ativa, sendo que no Brasil a taxa de desemprego está em 8,1%. Realmente, nossa a Inglaterra está com nível de desemprego alto! Ainda bem que no nosso país não! Kakakakaka!!!

- O povo é chato: Muito boa essa observação! Se eles são chatos eu não sei, mas que tem uns lugares que eu andei visitando que o povo não está nem aí. Precisava de informação, mas eles não falam com estranhos! Huhuhuhuhuh

- A cidade fede: Se fede eu não sei porque ainda não cheguei lá, mas ainda bem que o Rio Tietê e outros lugares do Brasil não fedem! Hihihihih

- Há ameaças terroristas: Existe uma ameaça terrorista sim, ainda mais depois que explodiram o ônibus lá, e vários outros incidentes em outras partes do mundo. Eles fizeram besteira e mataram por engano um compatriota nosso, e é lógico ficamos bastante tristes com isso. Mas, se você analisar, o Brasil é considerado um dos países mais perigosos do mundo! Acho que nesse quesito nós perdemos feio para os ingleses.

- Preconceito na Inglaterra: Se os ingleses são preconceituosos eu não sei afirmar, mas que nós somos, isso com certeza! Temos que estabelecer cotas para emprego, para negros aparecerem na mídia.... fala sério, para um país tão miscigenado isso é o fim da picada! Mas com certeza ganhamos do mundo inteiro quando o quesito é religião, pois nunca vi um povo tão aberto e respeitoso nesse quesito. Parabéns Brasil!

Não havia entrado no quesito política, mas olha que info interessante: Enquanto os políticos britânicos ganham cerca de US$ 321.000 por ano, os políticos brasileiros recebem US$ 550.000 — isso sem contar a verba para passagens aéreas, cujo valor oscila de acordo com o Estado de onde sai o político.

Por isso minha gente, não adianta achar que somos o máximo e os outros países tem problemas. Todos eles tem! O que vale é respeitar o local, e tentar fazer do mundo um lugar melhor para todos viverem.

Pensando nisso, segue uma frase interessante:

Pessoas brilhantes falam sobre idéias.
Pessoas medíocres falam sobre coisas.
Pessoas pequenas falam sobre outras pessoas
Dick Corrigan

domingo, 16 de agosto de 2009

Amigos sampa

video

Amigos, obrigada pela Serenata!
Foi uma bela homenagem!

Bjs!

Mel Helen

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Programa Chevening oferece bolsas no Reino Unido

Há oportunidades de cursos de pós em diversas áreas do conhecimento

Estão abertas, a partir deste sábado, 1º de agosto, as inscrições para o programa de bolsas Chevening, um dos principais do governo britânico. O auxílio, oferecido por intermédio do Ministério das Relações Exteriores (Foreign and Commonwealth Office), destina-se a profissionais em início ou meio de carreira, que se destaquem em sua área de atuação e que buscam aperfeiçoamento. As bolsas valerão para estudos de pós-graduação em universidades britânicas durante o ano letivo de 2010/2011. O prazo de inscrições segue até 30 de setembro.

No Brasil, a administração do Chevening está sob a responsabilidade dos escritórios do British Council e, anualmente, cerca de vinte e cinco brasileiros são contemplados pelo programa para fazer cursos de curta duração ou mestrado. As bolsas normalmente são concedidas para programa formal de estudos em tempo integral com duração que varia de três a doze meses, excluidos estágio prático ou pesquisa. Os cursos devem estar diretamente relacionados à área de atuação do candidato e à sua carreira.

Para se candidatar, é necessário ser brasileiro, trabalhar em regime de tempo integral e residir no Brasil, ter curso superior e, preferencialmente, estar em início de carreira e ter no mínimo dois anos de experiência profissional. Além disso, o participante deve ter bom domínio da língua inglesa. Há oportunidades para os profissionais ligados aos mais diversos setores de atuação como: privado, público, sindical e organizações não-governamentais, entre outros.

As áreas prioritárias para a concessão das bolsas Chevening são:

- Desenvolvimento Econômico e Social
- Combate ao Crime Internacional
- Desenvolvimento Sustentável, Mudança Climática e Meio Ambiente
- Finanças e Negócios Bancários (prioridade para regulação e finanças públicas)
- Governo e Políticas Públicas
- Direitos Humanos
- Jornalismo
- Comércio e Indústria (principalmente nos setores de tecnologia aeroespacial, aquicultura, telecomunicações, desenho industrial e indústria cultural e de criação, energia, tecnologia ambiental e de construção civil, mineração e transportes)
- Áreas do Direito relacionadas aos setores mencionados acima

Benefícios

As bolsas oferecidas servem para auxiliar ou cobrir um ou mais dos seguintes custos: taxas do curso; manutenção do bolsista (como estadia, alimentação, transporte, roupas de inverno, sem considerar a família); livros e tese. O limite de taxas pagas pelo programa no Brasil é de £ 12 mil. Por isso, os candidatos que optarem por cursos cujas taxas escolares tenham valor superior a este teto terão de cobrir a diferença.

Para cursos com duração superior a 12 meses, o candidato poderá ser contemplado com uma bolsa de estudos de um ano se comprovar que dispõe de recursos para cobrir as despesas relativas à sua estadia no Reino Unido durante os meses restantes. As passagens aéreas só serão cobertas no caso de bolsas especiais.

Onde estudar

São raras as exceções, mas quase todas as universidades britânicas participam do programa. Para concorrer não é preciso que a instituição de ensino confirme a reserva da vaga para o curso desejado. No entanto, o candidato deve identificar os cursos e as universidades de seu interesse, citá-los no formulário e solicitar a vaga com a maior antecedência possível. As aulas começam, normalmente, por volta do final do mês de setembro do ano seguinte ao da inscrição, com variações que dependem da data de início de cada curso.

Para conhecer instituições do Reino Unido que oferecem cursos na área de interesse, o candidato pode consultar os centros de informação do British Council ou o site Education UK, que dispõe de listas com links que dão acesso às páginas das universidades.

Formulário de inscrição

O formulário de inscrição para o ano acadêmico de 2010/2011 pode ser obtido no endereço eletrônico http://www.chevening.org.br. Ele deve ser preenchido em inglês e encaminhado juntamente com a documentação de apoio, também indicada no site, ao escritório do British Council mais próximo. O British Council tem escritórios em Brasília, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Durante o período em que estiverem abertas as inscrições, o British Council realiza palestras sobre o programa Chevening em seus centros de informação, além de oferecer o IELTS, exame de proficiência de língua inglesa exigido para a inscrição.


Fonte: http://www.universia.com.br/materia/materia.jsp?materia=15788

UNIVERSIDADES HOLANDESAS ABREM INSCRIÇÕES PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS

Quem quiser concorrer a um dos programas de bolsas de estudos do governo holandês precisa ter sido aceito em uma universidade.

A maioria das universidades neerlandesas já abriram as inscrições para os programas internacionais de estudos com início em 2010. Os estudantes brasileiros interessados em estudar na Holanda devem encontrar um curso de sua preferência entre os mais de 1.450 programas oferecidos em inglês pelo ensino superior holandês (Site para acessar o banco de cursos: http://www.nuffic.nl/international-students/dutch-higher-education/search-international-study-programmes/ispac_search_form) Há opções para graduação, mestrado, doutorado, além de cursos de curta duração e especializações nas mais diversas áreas do conhecimento.

Depois de escolhido o curso, o candidato deve entrar em contato com a universidade para receber a lista de requisitos para admissão. O que normalmente se pede é comprovação de grau, histórico escolar, testes de proficiência em inglês, etc. Após o envio da documentação traduzida é só torcer e aguardar a carta de aceitação da universidade.

Bolsas de estudos:
Para concorrer a um dos programas de bolsas de estudos do governo ou das universidades holandesas, o candidato deve antes ter sido aceito em uma universidade, por isso esta etapa é tão importante.
Entre os programas de bolsas de estudos disponíveis estão: o HSP (Huygens Scholarship Programme), voltado para estudantes de excelência em nível de mestrado ou no último ano da graduação, o NFP (Netherlands Fellowship Programme), voltado para jovens profissionais que desejam se aperfeiçoar na Holanda mas não possuem condições de financiar sua própria viagem, além dos programas de bolsas institucionais, oferecidos pelas próprias universidades nos mais diversos níveis e áreas do conhecimento.

Como se inscrever:
Para concorrer a uma vaga em uma universidade holandesa, os estudantes devem seguir alguns passos:
1. Escolher, dentre os mais de 1.450 programas ministrados em inglês, um curso de acordo com sua preferência ou área de atuação;
2. Entrar em contato com a universidade escolhida para obter as informações de como se candidatar a uma vaga, bem como os requisitos de admissão;
3. Caso queira concorrer a uma bolsa de estudos, o aluno deve sinalizar para a universidade no momento da inscrição;
4. Enviar a documentação solicitada traduzida para a universidade dentro do prazo estabelecido

INFORMAÇÕES ADICIONAIS: info@nesobrazil.org – ou pelo Tel.: (61) 3041-6094

Como enviar dinheiro para o exterior?

Olá amigos, tudo bem??


Existem várias formas de se enviar dinheiro para o exterior.

Você pode enviar por intermédio de empresas que atuam na área de câmbio, e é sempre bacana pesquisar as taxas que elas trabalham.

A que eu conheço é a Western Union http://www.westernunion.com.br, onde você vai direto à um agente (vide site), e faz o pagamento direto no caixa, e receberá um Número de Controle de Transferência de Dinheiro.

Com esse número, a pessoa a quem receberá dinheiro deverá ter a lista dos representantes onde possa efetuar o saque. A própria empresa lhe fornecerá isso.

O Banco Rendimento também possui um serviço de "Remessa Expressa", vocês podem consultar no site: http://www.rendimento.com.br/?c=725

Agora, vou dar uma dica bem bacana: VISA TRAVEL MONEY

Esse cartão de débito substituiu o TRAVELER CHECK, e é uma grande vantagem. Depois que você adquiriu o cartão, que não custa nada, mas precisa ter uma recarga mínima de 100 dólares, você deixa uma autorização por escrito para uma pessoa recarregá-lo para você. Bingo! Assim você tem dinheiro rápido e fácil, e esse cartão serve como débito em todos os estabelecimentos da Rede Visa no mundo todo, e não te cobrarão nenhuma taxa de utilização.

Bacana, né? Você pode fazer saques também no exterir, só que aí terá o valor da taxa de 2,5 o valor da moeda que você escolheu. Não entendeu?
É o seguinte, você pode recarregá-lo em dólar ou euro.
A cada saque, você paga 2,5 dólares ou 2,5 euros, dependendo do que escolheu. Maiores informações, visite o site: http://www.rendimentovtm.com.br/

Boa viagem!


Mel Helen

domingo, 9 de agosto de 2009

Passagem para a Escócia por 1 libra

Sim pessoal, não estranhem o título.
Comprei passagem para a Escócia pela companhia Ryanair, Londres - Glasgow por 2 libras (ida e volta).
Comentei em um post há algum tempo atrás sobre essa companhia aérea, avisando que ela de vez enquando proporcionava algumas bagatelas.
Então, fique de olho no site: http://www.ryanair.com/site/PT/ e boa viagem!
Abraços,

Mel Helen

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Declaração de Saída Temporária de Bens (DST)

Você está para viajar, e começa a se perguntar: como faço quando quero levar algum aparelho como câmera digital, notebook?
Quando retornar, terei de pagar imposto?
Caros amigos, achei esta informação no site da Receita Federal, e achei muito interessante, espero que seja útil para vocês.

Bjs!


Mel Helen



Declaração de Saída Temporária de Bens (DST)

Os bens que saem legalmente do Brasil, como bagagem, podem retornar ao País, sem estarem sujeitos ao pagamento de tributos, mesmo que portados por terceiros e independentemente do prazo e dos motivos de sua permanência no exterior.

Quando o viajante residente no Brasil, em destino ao exterior, deseja portar bens como bagagem e fazê-los retornar posteriormente sem que esses sejam tributados – principalmente aqueles de elevado valor, tais como os notebooks e câmeras digitais –, ele deve providenciar, no momento da sua saída do País, a Declaração de Saída Temporária de Bens (DST).

Para esse fim, o viajante deve preencher a DST em duas vias e, no momento da saída do Brasil, dirigir-se à fiscalização aduaneira, no setor de BENS A DECLARAR, a fim de registrar a saída dos bens.

Uma vez registrada a sua saída, o viajante não precisa declarar esses bens para a Aduana quando retornar ao Brasil, mas ele deve manter em seu poder a 1ª via da DST para apresentação à fiscalização, se solicitado. A DST poderá ser reapresentada à fiscalização aduaneira em sucessivas viagens, sem a necessidade do preenchimento de uma nova DST.

formulário da DST pode ser obtido pela internet (Anexo III da IN SRF no 120/98 - http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/Aduana/bagagem/DST_IN120.doc) ou nas unidades aduaneiras de saída do Brasil, nos portos, aeroportos e pontos de fronteira.

Fonte: http://www.receita.fazenda.gov.br/Aduana/Viajantes/DST.htm

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Meu twitter

http://twitter.com/mel_helen_s

Meus vídeos!

Olá amigos!


Bem que estou tentando, mas não consigo colocar aqui meus vídeos, pois eles tem ficado meio pesadinhos, e o sistema de envio do blog é devagar....

Mas, não queria deixar de dividir com vocês. Segue aí:

http://www.youtube.com/watch?v=6wiuirfxroc

http://www.youtube.com/watch?v=2ruLBBglOcg

Bjs!


Mel Helen